Dancinha

Dancinha

terça-feira, 10 de maio de 2011

De espiões e assombrações.


Vivemos em um mundo onde as informações e os dados mais diversos circulam, e se juntam, de maneira inesperada, impensável e em relação à qual ainda tateamos impressões e compreensões. Só muita ingenuidade para não imaginar que estamos mergulhados num mundo de espionagens diversas, possivelmente competitivas entre si, e com um poder de integração entre elas mais complicado do que possa parecer.

A mais visível, ativa e cruel, é a espionagem comercial. Ela vem traçando perfis de cada usuário da rede, o que não seria necessariamente ruim. O danoso é que nos vemos progressivamente aprisionados a moldes, com frequência caricaturais e imprecisos, dos quais vai se fazendo difícil nos libertarmos. Tento explicar-me. Por exemplo, aquelas colunas que cada vez mais, e meio misteriosamente, vão surgindo ao lado de nossas telinhas, apesar da aparência aleatória e ocasional, são fruto de acurada pesquisa. Somos bombardeados com informações variadas sobre aquilo que eles lá, em algum lugar, concluíram que queremos ou, pior ainda, que necessitamos. Redirecionar tais perfis, ou expectativas, no sentido que nos interessa, informações de que realmente necessitamos, vai se tornando tarefa árdua, por vezes atormentadora. Jovem rebelde, mulherzinha, mulherão, gay, tímido, velhote metido a besta, por aí estão imaginando como chegar à sua mente, a seus desejos e, certamente, a seu dinheiro. Até o deficiente consumidor que sou (talvez mais um consumidor deficiente) é contemplado com uma chuva de tentações e apelos. Conspiração? Nem pensar. É a lógica de um velho e bem sucedido sistema econômico se reordenando, em clima de intensa competição, para te envolver e conquistar, você consumidor.

Se falarmos em espionagem política, aí as paranoias, por natureza gulosas, encontram campo fértil para encher a pança. Estou certo de que estamos mais expostos, e portanto mais fragilizados, que nunca, mas daí a estarmos sendo espionados com fins específicos vai um mundão de distância. Não imagino até onde uma tal pletora informativa, um tal jorro contínuo de dados diversos, advindos de culturas e contextos políticos variados, poderia ser pragmaticamente processada e utilizada por agências centrais do que quer que sejam. Para quê? Gerando quais ações? Não somos potenciais Bin Ladens, nem trocamos informações e impressões que, na quase totalidade dos casos, não possam ser obtidas por agentes competentes com relativa facilidade.

Temo que tais discursos temerários e grandiloquentes possam inibir nossa tarefa mais premente: participar ativamente da tomada e da ocupação da internet, a grande rede, levando à frente as idéias, as discussões, as piadas etc que nos pareçam relevantes, importantes, divertidas, seja lá o que for. Claro que somos minúsculos diante dos poderes da grande rede, mas ela não vive sem nós, não se ocupa com conteúdos próprios. A internet não é um mega meio de comunicação, ela é algo novo e desconhecido, uma rede que tem tudo para se firmar como um grande bem da humanidade, um lugar do exercício da liberdade, em especial no tocante à informação, como o homem nunca imaginara, seja nas redes sociais, ou não. 

O ordenamento político e tecnológico da internet ainda está em seus primórdios, a inibição de nossos impulsos e tesão de coloca-la ao serviço da maioria só pode interessar aos que hoje acreditam ter as rédeas da rede em mãos, e vivem o pânico de perde-las. Mesmo que aparente ou realmente bem intencionados, tais declarações sobre perigos e ameaças merecem ser ouvidos com respeito, mas também com desconfiança, cautela e reflexão.

Um comentário:

  1. PARTICIPE DA CONSTITUIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO MEMORIAL DA ANISTIA POLÍTICA . Dia 14/05, sábado , de 10 as 14 horas, antigo prédio da FAFICH, Rua Carangola 288 , Bairro Santo Antonio, Belo Horizonte
    Sua assinatura na ata de fundação da Associação é de fundamental importância. Além de reforçar a construção do Memorial da Anistia Política ela possibilitará o resgate da VERDADE sobre a ditadura militar. Aos que moram e amam BH será a projeção da nossa cidade para o Brasil e o mundo como a capital da JUSTIÇA , PAZ e DEMOCRACIA. Enfim sua assinatura manterá viva a chama da LIBERDADE acessa pelos(as) companheiros(as) assassinados(as)
    BETINHO DUARTE

    ResponderExcluir